Blog não oficial

12.07.2006

The Gift :: Chat com Sónia Tavares

Sónia Tavares entrou em chat com os fãs
Vocalista dos The Gift falou sobre o novo disco, a carreira da banda e os próximos concertos no CCB

A poucos dias dos dois concertos no Centro Cultural de Belém, a vocalista dos The Gift, Sónia Tavares, esteve no IOL Música para entrar em chat com os fãs da banda de Alcobaça.

Tal como a chuva que marcou esta primeira terça-feira de Dezembro, as perguntas caíram incessantemente, tal era a curiosidade dos leitores. O novo disco "Fácil de Entender" foi um dos pontos de conversa, para além das habituais, mas sempre difíceis de responder, perguntas sobre qual o álbum, música ou concerto preferido.

Aqui ficam alguns dos melhores momentos do Chat IOL Música com Sónia Tavares:

O concerto no CCB vai ser, com certeza, um concerto especial... Será que vão haver algumas surpresas? [porque]
«O espectáculo está montado desde o dia 10 de Novembro, quando tocámos no Centro Cultural Olga Cadaval, em Sintra. Assim sendo, a nossa ideia era tentar levá-lo, tal como o apresentámos pela primeira vez, aos outros auditórios do país. E uma vez que é realmente complexo, é um pouco difícil transformar o espectáculo em cada data diferente. Por isso, se acontecerem surpresas, será ao nível do alinhamento. Mas creio que o CCB já é suficientemente emblemático!!!»

Achas que se pode dizer que os The Gift se estão a tornar numa banda mais 'comercial'? [Bassman]
«Se comercial significa ter mais pessoas a conhecer o nosso trabalho, a gostar da nossa música, a ir aos nossos concertos, sem dúvida, então, somos uns comercialóides. No entanto, acredito profundamente que isso não é sinónimo de qualidade inferior, de menos trabalho, de fazer música para vender. A qualidade dos nossos trabalhos, desde as canções às capas dos discos, agradam-nos primeiro e sempre a nós. Depois, logo se vê...»

Qual foi o momento mais importante em toda a vossa carreira? Aquele momento que deu o impulso necessário para os The Gift sentirem que valia a pena continuar... [felix]
«Bom, houve muitos momentos importantes na vida dos The Gift. Todos eles têm de ser entendidos temporalmente, ou seja, na altura em que foram acontecendo. Lembro que foram importantes os festivais de Verão em 1999, o Sudoeste principalmente. Depois em 2000, a primeira Aula Magna. Foi obviamente importante o prémio da MTV, tal como os primeiros concertos nos Estados Unidos...»

É verdade que, no início da vossa carreira, tiveram que pedir um empréstimo bancário para comprarem os instrumentos? [Surfhell]
«O empréstimo bancário aconteceu, não para comprarmos os instrumentos, pois já os tínhamos - mauzitos, mas tínhamos -, mas sim quando em 1998 decidimos fazer o nosso primeiro disco e, obviamente, não dispúnhamos de verbas para tal. Assim sendo, apresentámos uma proposta ao banco, pensando nós pagar essa dívida com concertos e com a hipotética venda de discos. E assim foi... No segundo disco, voltámos a fazer o mesmo. Desenganem-se os que pensam que somos ou estamos ricos. (sorri)»

Qual o álbum que consideram ser o vosso melhor trabalho? [Mark]
«Naturalmente, tentamos que o trabalho mais recente seja sempre o melhor, senão não o mostraríamos às pessoas. Mas também não sentimos essa responsabilidade, uma vez que podemos fazer o que queremos. Melhor ou pior, a ideia é agradar-nos.»

Qual é o vosso grau de saturação em relação às músicas que compõem?[pk]
«São nossas, são como filhos... Não nos saturamos dos nossos filhos, ainda que os cantemos 2324325 vezes por ano...»

Em que pensas quando estás prestes a entrar em palco? Tens algum amuleto? [pk]
«Faço o pino e malabarismo com jarrões chineses. Foi um truque que aprendi em Macau. Estou a gozar... (sorri) Se o relógio for um amuleto... Está sempre comigo, liga-me à terra.»

Após cerca de uma hora de conversa, Sónia despediu-se dos fãs, mas não sem antes admitir que «é mais fácil conversar» pessoalmente. «Mas assim poupo a minha voz, que tanta faltinha me faz», brincou a vocalista dos The Gift.

No final, o convite ficou no ar: «espero vê-los, ao vivo, dia 9 ou 10 no CCB!»

João Carneiro da Silva
in www.musica.iol.pt - 2006/12/06

3 comentários:

catia disse...

ou a sónia canta wallpaper quando vier ao funchal, ou então marco-lhe no pescoço com um dos meus dragões... catiarodrigues@rocketmail.com

Anónimo disse...

Quando é que os The Gift dão um concerto?
Chinha

Silbix disse...

UFA!!!FINALMENTE(!)Já tava a precisar de música nova dos The Gift!Tava a ficar com falta de ar!!!
Até agora o novo álbum tá excelente!!Muitos parabéns, eu sabia que não nos iriam desiludir!!!

Beijos & Abraços de uma fã incondicionalissimamente incondicional


vocês são os maiores!!



Sílvia Pereira